Tratamento cirúrgico de hérnia discal via percutânea

 

 

Este procedimento consiste no tratamento de hérnias contidas, com sintomas radiculares persistentes, após tratamento conservador pelo período de, pelo menos, 03 meses.

 

Os achados em RNM indicam hérnias contidas, rupturas radiais, ruptura anular (anel fibroso), sem extrusão ou instabilidade.

 

Tem sido realizado de rotina, nas condições supracitadas, apresentando melhora importante do quadro álgico e permitindo condições plenas de retorno às atividades normais em um período mais curto de tempo, evitando internação hospitalar.

 

Existem diferentes produtos que permitem a realização da técnica (Dekompressor® (Fig.1), Nucleotome® (Fig.2) e DiskFx Razek® (Fig.3), por exemplo).

Figura 1 - Dekompressor

Quem se beneficia como procedimento?

Pacientes com lombociatalgia que não apresentaram melhora com o tratamento clínico e fisioterápico, que apresentam nos exames de imagem (RNM) hérnia discal contida ou rupturas anulares.

 

Como é realizado?

Em nível hospitalar de forma ambulatorial, com anestesia local e sedação assistida.

 

Qual o preparo pré-operatório?

Exames laboratoriais simples com provas de coagulação e eletrocardiograma. Paciente não pode estar em uso de antiagregante plaquetário ou AAS. Deve estar em jejum de 8 horas.

 

Vantagens do procedimento:

Não necessita internação hospitalar, retorno precoce as atividades do dia a dia e baixo índice de complicações.

 

Referências: Bonaldi G. Automated percutaneous lumbar discectomy: technique, indications and clinical follow-up in over 1000 patients. Neuroradiology (2003), 45:735-743. DOI 10.1007/s00234-003-1066-1.

Figura 2 - Nucleotome

Figura 1 - Dekompressor